domingo, 26 de setembro de 2010

Viver é deixar.

Todos encaram o passado como uma fonte de dor ou de alegria, os dois, talvez. Eu não sou muito diferente. Apesar de ter vivido pouco, vivi o suficiente pra olhar pro passado e sorrir, ou mesmo sentir essa dor que às vezes me preenche e me faz ser tão assim. Fria, distante de mim.

Nem todo sorriso é feliz, nem toda lágrima é triste, mas do que adianta sorrir de tristeza? Não ajuda, não acaba. Sente a dor? Sente essa agonia por dentro, essa vontade de arrancar o que dói? Mas você não sabe o que dói. Não sabe por que dói. Aliás, não devia nem doer com tanto vazio que existe. E você não luta contra isso, não luta contra o vazio, só o aumenta. Com frases, com lembranças, pedaços de músicas... Passado. Não se cansa de viver dele? Às vezes eu me canso, me desvio, me protejo. Se não, o que seria de mim? Pense. O que é de você?

A tristeza é bela, a dor é fascinante, mas a felicidade ainda tem seus melhores prazeres.

5 comentários:

Danii disse...

Me arrepiei D:
Eu não ajudo a esquecer do passado, dói sim, mas faz bem também :)
Que cansa , cansa. mas é tão difícil deixar ele pra trás né? D:

Renata disse...

"Nem todo sorriso é feliz, nem toda lágrima é triste, mas do que adianta sorrir de tristeza?"

Me fez lembrar um trecho damúsica de Rosa de saron:
"...hoje muitos choram mas não desistem de viver, hoje muitos choram sorrindo."

é comum isso ficarmos presos ao passado e, vez ou outra quando pensamos que esquecemos acabamos lembrando tudo novamente. Mas buscar a felicidade é preciso, ela existe.

Nágila disse...

Parei com isso de ficar remoendo o passado!!
Quero correr atras do meu futuro agora!!

- T. Victor disse...

Adorei o post surpresa Hemi.

Diria que devemos esquecer de vez o passado e seguir em frente se não fosse tão bom reviver as boas lembranças. O fato é que não queremos falar do passado porque temos medo de sentir saudade e não poder voltar atrás

:))

Dag. disse...

Talvez seja eu, talvez seja pelo desfalque de minha memória, mas não tenho receio de olhar para trás. E não sinto dor ao fazê-lo. Eu tenho essa mania de viver no futuro, presente é passado eu vivo na frente. Funciona para mim, é o que importa.